segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Uma rosa


L.K

Pequenina, frágil e prestes a ser separada da mãe. Destino? A única coisa certa é o futuro incerto de Maria * (nome ficticio de um personagem real), de 6 meses. Sua mãe foi presa por tráfico de drogas, teve a menina no Presídio Regional de Mafra e agora teme a partida da pequena. Sem pai nem mãe, a jovem espera pela familia do marido que também está preso. Essa é a chance de Maria não passar parte de sua infância num orfanato. A beleza desse drama é aquela criança perfeita. Pele e olhos claros, cabelos escuros cacheados, pernas e braços rechonchudos e um serenidade quase incompreensível, tendo em vista o ambiente que cresceu, tomado de ressentimentos, condensandos pela fumaça de cigarro permanentemente no ar. Dela ganhei uma rosa vermelha.

Um comentário:

roberta disse...

Tuas palavras são tocantes, Le e teu imenso talento para a escrita e para as telas, também.
Beijos e mais sucesso.
E que esse bebezinho consiga ter um futuro feliz.